sábado, 2 de agosto de 2008

Sou Ana...



Sou Ana
Sou cigana
Leviana...
De amores
E tremores
Coleciono sabores
E dissabores...
Sou o avesso
Sou o excesso
Às vezes tempestade
Outras... calmaria
Vivo no limite do amor



Navegante...
Viajo no inconstante
Meu porto é o acaso
O aconchego, a minha estrada
Meu companheiro... a saudade
Invento sonhos
Pra abraçar a vida
Meus contos não são de fadas
Nem meu coração de lata
Cara a cara com o infinito
Respeito aquilo que conquisto

Ana Lúcia Camargo
02/08/2008