sábado, 26 de julho de 2008

Amor Submerso










Amor submerso
Misterioso universo
Das águas da paixão
Do canto das sereias
Das estrelas do mar
Da infinita beleza
Do verbo amar

Amor ao inverso
Desconexo...
Consome minhas noites
Dança na minha insonia
Devora meus dias
Me enche de manias
E nunca me sacia...

Ana Lúcia Camargo
05/08/2008

Prefiro tomar sorvete...











Junte tuas migalhas
Já provei esse banquete
Prefiro tomar sorvete...
Deixo de lado teu palácio
Não quero mais esse laço
Tenho a lua pra sonhar
As ruas pra passear
Minha estória
Faço e desfaço
Sem nenhum embaraço
Prefiro viajar...
Não entendo esse ficar
Tudo é tão infinito...
Não cabe num mal-estar

Ana Lúcia Camargo
28/07/2008

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Esse mundo é meu...



Quisera eu
Ser a autora
De uma história
Que nunca tivesse fim...
Mas teu silêncio é um segredo
E o vazio me dá medo
Não quero ser o elo
Dos nossos paralelos
Nem ficar em tuas mãos
Esperar... faz de mim criança
Me dói as lembranças...
Vou correr por aí afora
Saborear o que você não me deu
Descobrir porque teu sorriso não é meu
Com voce aprendi a partir
Então lá vou eu...
Consegui abrir minha porta
Vou sozinha... vou feliz
Tirei da bagagem a ilusão,
A dependência de voce...
Só carrego a saudade
Agora esse mundo é meu...!!!

domingo, 20 de julho de 2008

Teu pecado
















Quem dera eu
Ser teu pecado
Um desacato
Malicioso
Ser o instante
Inconstante
Invadir teu ser
Quando te encontro
Quase morro
E até corro
Não sei o que fazer
Bater de frente
De repente
É tudo que sonhei
Vou disfarçando
Quase minto
Às vezes brinco
Prá voce não perceber...
Atropelo os meus sentidos
Meu jeito distraído
Insisto nessa bobagem
De te amar.

Ana Lúcia Camargo
Setembro/2008

sábado, 19 de julho de 2008

Insensato querer

Volto a pisar esse chão...
Venho buscar os pedaços
De um coração exilado
Um tanto apaixonado
Trago nas mãos uma estrela
Que colhi pra te ofertar
Fragmentos da tua beleza
Que brilham no meu caminhar
Abro minha guarda
Colo os retalhos da alma
E vou que vou
Seja onde fôr
Abro os braços pro amor
Ana Lúcia Camargo

Desertar de você



A lua brilha lá fora
Reflete no mar
O banquete das sereias
As ondas rolam na areia
Lavando minha desilusão
Preciso sair de mim
Desertar de você
E entender porque
O amor é assim

Amor precipício
Sem fim nem início
Amor acidente
Bote de serpente
Amor canalha
Efeito navalha
Amor sem saída
De idas e vindas
Amor...
De infinita saudade...

Ana Lúcia Camargo
19/07/2008