sábado, 2 de agosto de 2008

Sou Ana...



Sou Ana
Sou cigana
Leviana...
De amores
E tremores
Coleciono sabores
E dissabores...
Sou o avesso
Sou o excesso
Às vezes tempestade
Outras... calmaria
Vivo no limite do amor



Navegante...
Viajo no inconstante
Meu porto é o acaso
O aconchego, a minha estrada
Meu companheiro... a saudade
Invento sonhos
Pra abraçar a vida
Meus contos não são de fadas
Nem meu coração de lata
Cara a cara com o infinito
Respeito aquilo que conquisto

Ana Lúcia Camargo
02/08/2008

5 comentários:

ESPERANÇA disse...

Analu!!
Parabens! seu poema é lindo e me faz querer estar sempre em contatos com suas obras.
Estarei aqui aguardando novidades.
Beijos
Rui Victorino

Ana Lucia Camargo disse...

comentário enviado no Orkut... arrasando nos pensamentos!!
muito legal annaaa!
vc consegue a síntese e a unificação do sentimento.. e com transparencia consegue se apresentar..rsr
minha talentosa amigaaa.... bjooossss no coração de ouro e não de lata..ahahah
Mauro Goulart

Ana Lucia Camargo disse...

Comentário de Claudio Vieira
Enviado pelo Orkut...
Essa menina é a apoteose da sensibildade... Arrepio na alma...doce frenesi da carícia da profunda alegria. Agradeço a oportunidade de estar no seu BLOG e muitíssimo obrigado pelas generosas palavras, mas escrevo apenas alguns versos. A poesia que aquece, eleva e deixa marca indelével na minha alma vem de vc. Obrigado por existir. Conte as estrelas no céu são beijos de gratidão para vc que é fonte de uma poesia acalentadora de meu espírito. Beijos
Claudio Vieira

Landry disse...

Ana lúcia!!!
Muito legal o seu Blog!!
Meus parabéms, gostei tanto que
vou deixa-lo salvo aqui em meus favoritos pra sempre entrar e defrutar de tão belas palavras...um abraço !!!!

Ulysses Ferraz disse...

Lúcia,

Essa poesia é uma das mais lindas que eu já li... Você é surpreendente!
Beijos
Seu irmão
Uly