domingo, 20 de julho de 2008

Teu pecado
















Quem dera eu
Ser teu pecado
Um desacato
Malicioso
Ser o instante
Inconstante
Invadir teu ser
Quando te encontro
Quase morro
E até corro
Não sei o que fazer
Bater de frente
De repente
É tudo que sonhei
Vou disfarçando
Quase minto
Às vezes brinco
Prá voce não perceber...
Atropelo os meus sentidos
Meu jeito distraído
Insisto nessa bobagem
De te amar.

Ana Lúcia Camargo
Setembro/2008

Nenhum comentário: